Tá na dúvida ? Fale com a gente ! (62) 3093-7737 | 9.8198-0111

19/06/2017

MULTIMAN: JARED LETO

Ator, cantor, compositor, modelo, queridinho de Alessandro Michele na Gucci e representante da Carrera, Jared Leto se prepara para viver Andy Warhol nos cinemas, enquanto finaliza um novo álbum de sua banda e lança uma nova temporada de seus documentários. Aqui, ele conta um pouco mais de tudo isso.

 

19/06/2017 - Atualizado 15h17 por LUCAS AUGUSTO

 

Você vai produzir um filme sobre a vida de Andy Warhol em que você mesmo desempenha o papel. Como surgiu o projeto?

Jared Leto: Andy é o mais célebre artista do mundo. Uma inesperada combinação de fama e infâmia. No entanto, nenhum grande filme realmente se centrou nele. Quero mostrar até que ponto a maneira de Warhol quebrar as regras mudou o mundo. Andy nos ensinou que as possibilidades oferecidas pela existência são múltiplas. Para isso, basta aprender a cavar um pouco dentro de nós mesmos.

 

Como entrar na cabeça de um artista da estatura de Andy Warhol?

É um processo apaixonante que parece um pouco com um quebra-cabeças. É por isso que faço questão de filmar em Nova York: a cidade será um personagem em si. Andy mostrou apenas uma das facetas de sua personalidade ao seu entorno. Poucas pessoas realmente o conheciam. É muito emocionante cavar e tentar descobrir quem ele realmente era.

 

 

Qual é a sua relação com o mundo da arte hoje?

Sempre fui um artista. Antes mesmo de começar minha carreira, eu era estudante numa escola de artes. Cresci cercado por artistas. Se parei de pintar, é porque encontrei atalhos que permitiram me expressar.

 

Quais são as mais importantes colaborações artísticas de sua carreira?

Os laços que criei com diretores e atores em filmes como “Clube de Compras Dallas” e “Requiem para um Sonho”. Trabalhar com David Fincher ou Darren Aronofsky marca você. Há alguns anos, escrevi uma música chamada “Hurricane”, com o Kanye West. Isso também faz parte das experiências que me marcaram. Agora, estou trabalhando com meu irmão, Shannon, no novo álbum do nosso grupo, Thirty Seconds to Mars. Na verdade, me dou conta de que adoro colaborar com os outros. Não sou um lobo solitário. Adoro, por exemplo, trabalhar com Terry Richardson, um dos maiores artistas da nossa geração. Ele transformou a representação visual da moda e da publicidade mais do que qualquer outra pessoa. Terry nos provou que não era preciso ter uma câmera de US$ 10 mil para fazer fotos maravilhosas, pois a emoção e a curiosidade devem prevalecer acima de tudo.

 

Como é levar, paralelamente, a carreira de ator, músico e empresário? Você coloca certas partes de sua personalidade em espera e outras não para conseguir?

Não, de fato, isso forma um todo. É até divertido transferir os resultados de uma exploração de um campo para outro. O empreendedorismo, por exemplo, é uma parte muito importante de minha vida. Tenho prazer em trabalhar com empresas que operam nas novas tecnologias. Aprendi muito em contato com pessoas que fundaram o Airbnb e o Uber. Aplico essas descobertas a outras partes da minha vida. Tudo isso vem do mesmo princípio: saber resolver os problemas, convocando o aspecto criativo de sua personalidade.

 

Isso ele se aplica à moda? Muitas vezes vemos você com Alessandro Michele, o diretor artístico da Gucci.

Nós nos conhecemos em Los Angeles e nos demos bem de cara. Temos a mesma idade, o mesmo senso de humor estranho. Hoje, somos realmente próximos. É um fenômeno incrível. Ele é tão criativo e tudo se torna divertido com ele! O que o torna original é a capacidade que ele tem de injetar amor, muito amor, em seu trabalho. Benevolência também. Ele não só cria roupas bem concebidas e confortáveis de usar. Não, é algo diferente, que não tem nada a ver com o savoir-faire, ou com seus temas de inspiração. Esse é um ingrediente especial: uma celebração da alegria de viver e de existir. As pessoas sentem isso.

 

Vocês poderiam trabalhar juntos num filme?

Ah, sim! Na verdade, até falamos de um projeto muito específico. Vamos ver o que acontece. Prefiro não adiantar muito. O que é certo é que ele seria um trunfo excepcional para um filme.

 

Quais são seus outros projetos de filmes futuros? Já se está falando bastante de “Blade Runner 2049”.

Sim, o filme está no forno. Eu o filmei antes de The Outsider. Estou ansioso para vê-lo nos cinemas. “Blade Runner” é um dos meus filmes favoritos. Eu realmente queria fazer parte do projeto incrível dirigido pelo diretor Denis Villeneuve. O elenco é insano. Harrison Ford é uma lenda em todos os sentidos, e aprendi muito com ele.

 

O que podemos esperar de Jared Leto em 2017?

Um novo álbum do Thirty Seconds to Mars para começar! E tenho certeza que, com meu irmão, começaremos uma turnê muito em breve. Provavelmente, lançaremos dois filmes, assim como uma nova temporada do documentário que produzi e dirigi, e que se chama “Beyond the Horizon”. Dez novos episódios desta série serão transmitidos: quis passar um olhar pessoal sobre o futuro, fazendo intervir várias cabeças pensantes de todos os continentes. Já comecei a entrevistá- -los. É um olhar provocador sobre o futuro, o futuro político em particular. Não somente sobre o futuro político dos Estados Unidos, aliás, mas do mundo inteiro.

GOOD Comunicação